terça-feira, 6 de maio de 2008

Serviços Públicos

As vezes tenho pena de não ser inspector "à civil" do ministério (Finanças) que gere o funcionalismo público.
Provavelmente existem muitos funcionários públicos competentes e aquilo que hoje vou descrever não é a realidade do seu dia-a-dia. No entanto, estas situações teimam em ocorrer frequentemente e apesar de tudo aquilo que se ouve muitos funcionários teimam em viver na total incompetência e falta de respeito pelo contribuintes.

De manhã estive no meu local de trabalho afim de tratar de aspectos relacionados com a minha "baixa" que agora parece que não pode ser passada pelo médico que me operou mas pelo de família a que nunca vou :p. Ora onde trabalho apenas os que entramos agora com o contrato é que descontam para a Segurança Social. De resto ninguém trabalha com este organismo mas com a ADSE e a CNP. 
Foi o caos. Só ouvia na secção de pessoal...
- Ai eu não sei como é que se faz com isso agora.
- Ai parece-me que as coisas mudaram. O não-sei-quantas tu sabes como é neste caso.
- (não-sei-quantas) ai eu não sei. É melhor perguntar à jurista.
Enfim, acabei por dizer - Fica ai o papel da baixa se precisarem de mais alguma coisa digam
Depois pedi o papel para preencher com vista a ter o cartão para picar o ponto.
Uma senhora andou horas a procura de um impresso verde ou azul. Entretanto veio-se a descobrir (outra funcionária) que o papel era branco e esteve quase sempre à frente dos olhos da primeira.

Da parte da tarde fui à Segurança Social. Tinha de cancelar o Seguro Social Voluntário pois agora ia descontar pelo regime geral. Tinha mais ou menos 10 pessoas à minha frente. Demorei uma hora. Isto porque haviam três mesas a atender nas quais numa funcionária estava apenas preocupada em regular o ar condicionado e a apresentar vizinhas umas as outras. Noutra, a funcionária estava feita barata tonta de um lado para outro. Duas conversavam num gabinete e uma despachava serviço. Foi esta que me atendeu.

Eu acho que isto já nem lá vai com mobilidade.

6 comentários:

Anónimo disse...

ri-me bastante a ler este episódio lol, imagino a tua cara a olhar para tudo lolol...

P.

Vasco Branco disse...

Pois é as repartições públicas funcionam muito mal. Tinha duas opções: 1) protestavas alto e bom som e pedias o livro de reclamações; 2) levavas a muleta para a segurança social e tinhas prioridade no atendimento :)

Abraço,
Vasco

Hydrargirum disse...

Que revolta!!!! Maldita funcao publica (Nao todos claro!) que se alapou a posicao....

Abc:)

Rita disse...

Eu nem te conto o que tenho penado com estes exames todos que tenho feito...
PS - Como está o "presunto" melhorzinho???
Jokas

Miguel disse...

Parece que a revolta se vai acentuando há medida que o divórcio com a situação de bolseiro luso-canadiano se vai afastando. Prevejo muitas manhãs de azia até ao dia em que a corrente parte e tu te libertarás. Talvez esteja errado o que também tem sido vulgar ...

João disse...

P: Pois...

Vasco: Pois esqueci-me da muleta.

Hg: LOLOL. Com que então UK ?...hummm!!!!

Rita: Pois é melhor nem contares mesmo. Em relação ao presunto, vai andando devagarinho. :) Bjinho

Miguel: Com estas pequenas azias posso eu bem. São daquelas que nem matam nem moem. apenas chateiam.